Vila de São Francisco Xavier com a serra da mantiqueira ao fundo

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Palmeira guaricanga com cacho de frutos.
A palmeira guaricanga foi muito usada no passado pelos caboclos da região, eles à utilizavam para fazer a cobertura de suas casas, hoje a guaricanga é uma especie relativamente rara na região, só são encontradas em fragmentos florestais preservados.
No terreno de meu parceiro Luis Inoue, ainda encontramos essa bela especie no sub bosque, encontramos  a palmeira meio que por acaso, estávamos andando pela mata e nos deparamos com esse exemplar já adulto.

A outra surpresa foi esse belo exemplar de cágado que encontramos num ribeirão que corta a propriedade

O potencial da área promete, apesar de ficar em região onde a maior parte das florestas foram derrubadas
ainda encontramos especies animais e vegetais já extintas em outras partes do município.
Vejo que um inventario faunístico e botânico da área se faz necessário, a cada dia que visito o local de me deparo com novas surpresas.
Na foto abaixo observo o biótopo onde encontramos o exemplar de cágado, nota-se a grande quantidade de palmeiras juçara que provavelmente forneçam frutos que compõem parte da dieta do referido quelônio.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Chega a temporada de divisões na região de São José dos Campos,Sp.

Com a chegada das chuvas da primavera surge a hora ideal para dividir as colônias matrizes de meliponas.
As floradas da serra da mantiqueira e das matas do sertão de São José dos Campos fornecem às abelhas nativas, oportunidade de abastecer seus potes de mel e pólen,  o meliponicultor percebe que chegou a hora de dividir suas colônias matrizes.
Aqui na região do vale e serra da mantiqueira joseense, é a melhor época para dividir as colônias, que estão "no ponto".
Mãos a obra :

Na foto abaixo vemos a caixa matriz de uruçu que será dividida

O orifício de entrada com a abelha guarda

aqui vemos a caixa modelo inpa, com ninho e sobre ninho, prontos para receber parte da colônia que será dividida

divisão da caixa, dividindo parte do ninho

Parte da colônia com os discos estagio pupa, essa parte recebe grande quantidade de abelhas de uma terceira caixa + potes de mel.

Aqui vemos a colônia nova, já no local definitivo, com as abelhas fazendo a entrada de barro.

As divisões são procedimentos relativamente fáceis de serem feitos, o difícil é preparar as colônias por meses até que fiquem "no ponto" certo de serem divididas.
um plantel bem formado e aclimatado é regra básica,  não basta ter uma ou duas colônias, para dividir com sucesso tem que trabalhar com plantel minimo de 4 ou 5 colonias, quanto mais melhor.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Nova parceria na meliponicultura de São Jose dos Campos

Visando o aumento na produção de colônias e produção de mel de qualidade o Meliponario Mantiqueira firma parceria com o meliponicultor Luis Inoue, na cidade de São Jose dos Campos.
O novo meliponario está instalado em região muito propicia com formação florestal do tipo Floresta estacional semidecidual .
Foram instaladas 6 caixas de uruçu amarela  e em breve outras especies serão adicionadas ao plantel.



Como estamos em período de inverno,o tempo está bastante seco, mas no meio da mata a umidade é uma constante e as colonias parecem bem saudáveis.
As colonias estão sendo alimentadas semanalmente para que fiquem aptas a serem divididas em setembro, só estamos esperando a chegada das primeiras chuvas na região.